Postagens em sabores e aromas
O outono na Italia entre Trufas, Queijos e Vinhos.

O outono, com suas cores que vão do ouro aos tons mais escuros de vermelho, oferece cenários e contrastes únicos. E se você é sensível ao encanto da folhagem (foliage), este é o melhor momento para procurar as paisagens mais espetaculares pelas terras das Langhe, Roero e Monferrato.

As Verdes Colinas do Monferrato pintadas de ouro do sol quando chega o outono

As Verdes Colinas do Monferrato pintadas de ouro do sol quando chega o outono


Este fenomeno da natureza, chamado “Foliage” provem da mistura da palavra “fall” (palavra em ingles che signifca cair ) e da palavra feuillage em frances com o mesmo significado para definir as folhas de outono que caem. É um período que, em alguns locais geográficos como Estados Unidos e Canadá, tem implicações muito fortes do ponto de vista da paisagem: as cores mudam a tal ponto que transformam radicalmente o aspecto do contexto natural.

Junto as cores quentes que o outono nos presenteia por estas Verdes Colinas, chega o maravilhoso ”Tartufo Bianco”. No mes de outubro inicia à caça ao tartufo bianco (trufa branca). Esta iguaria rara e unica que cresce em simbiose com certos tipos de arvores, a causa do clima umido que pelas manhas de outubro e novembro somos acolhidos fazem deste territorio um dos melhores habitat para o crescimento deste tubero.
As melhores festas do “tartufo bianco” entre Langa e Monferrato:

Tartufo Bianco- Trufa Branca - E’ um tubero que cresce em simbiose com certo tipos de arvores.

Tartufo Bianco- Trufa Branca - E’ um tubero que cresce em simbiose com certo tipos de arvores.

Antes da chegada do “Tartufo Bianco”, no mes de setembro no Piemonte, o trabalho è intenso com a vindima. Entao porque nao acrescentar um dia pelos vinhedos contribuindo com a Vindima? Na seçao eventos de Verdes Colinas todas as Vinicolas Italianas onde poder partecipar deste importante momento do vinho.
Conhecer e viver uma dia entre os vinhedos è um otimo meio para descobrir os varios tipos de uvas nativas, o terreno, o sol, o vento, a posiçao das plantas e aprender como toda esta combinaçao contribui e varia na produçao dos vinhos.

Caminhar pelos vinhedos, fazer a colheita, partecipar dos esmagamento das uvas, somente para divertir-se, compartilhar um almoço tipico piemontese, degustar vinhos, onde minutos antes foi possivel tocar as suas videiras è viver uma rica e autentica experiencia.

A “pigiatura” o esmagamento das uvas nas colinas do Monferrato, Piemonte, Italia

A “pigiatura” o esmagamento das uvas nas colinas do Monferrato, Piemonte, Italia

E quando falamos de vinhos, me vem em mente imediatamente o seu parceiro melhor: o quejo!
Neste fim de semana de setembro aconteceu o Festival Cheese na cidade de Bra, provincia de Cuneo. E’ um momento esperado e desejado para os amantes de queijo, como eu. A feira acontece a cada dois anos alternando-se com o Salone del Gusto que acontece na cidade de Torino.
Pelas ruas, nas praças, nos quintais da cidade de Bra tudo gira em volta do queijo. Em quatro dias o mundo de alimentos de qualidade se concentram nesta pequena cidade Barroca do Piemonte.
Encontros, curso, eventos, livros, e muitas oportunidades para descobrir sobre as especialidades e iguarias de cd Regiao italiana, europeia e mundial.

Os meus endereço na cidade Bra:

  • Restaurante. Desde 1919 era frequentado por atrizes e cantores italianos famosos.
    http://www.ristorantebattaglino.it/

  • Caffe Converso - Nasce no ano 1838 e faz parte de um dos bares historicos da Italia
    A especialidade da confeitaria Converso é Salot, uma sobremesa típica da província de Cuneo,
    em especifico da cidade, uma massa de brioche recheado com geléia de damasco, cidra cristalizada e sultanas, feito para o dia da epifania, 6 de janeiro.

  • Vontade de Pizza? https://480gradi.it/

    Uma jornada perfeita para quem procura novos sabores, novas experiencias, novas paisagens em uma unica viagem.

O verdadeiro viajante tem a mente elastica e o paladar pronto.

A cozinha é, sem dúvida, uma parte importante da cultura italiana. A cozinha italiana é conhecida em todo o mundo, especialmente por massas, pizzas e sorvetes, mas a variedade de sua comida é muito mais rica. Graças à importância de cozinhas regionais, e até mesmo dos pequenos vilarejos, orgulhosos de suas tradições e especialidades culinárias, e graças as muitas influências dos diferentes povos que tiveram lugar na península, pode se dizer que o número de receitas italianas sao quase ilimitadas.

O vinho è o embaixador por excelência. Incomparável o prazer do gosto de um bom vinho, imerso em seu ambiente natural, um copo de Barbera ou de Barolo no Piemonte, uma massa com a trufa branca è uma experiencia para viver e nao para contar ;-).

Na cidade de Torino, capital da Regiao do Piemonte, hà uma lunga história de amor, entre a cidade e chocolate. Começou em 1560, quando, para comemorar a transferência da capital ducal de Chambéry para Torino, Emanuele Filiberto de Savóia (rei da Italia) simbolicamente serviu à cidade uma xícara de chocolate quente…
Torino oferece inumerosas cafeterias historicas caracterizados por charme e elegância. As cafeterias históricas são, sem dúvida, uma obrigação para quem visita a cidade, mas também para quem a conhece bem. Você pode saborear dentro deles, incluindo espelhos antigos, “boiserie”, tapeçarias de cetim, candelabros elegantes e pratos de porcelana, como uma pequena viagem no tempo, mesmo por algumas horas.

Aberto desde 1793, o Bicerin era o café preferido de Camillo Benso Conte di Cavour. - Bicerin no dialetto piemontese significa - bicchierino - copinho

Aberto desde 1793, o Bicerin era o café preferido de Camillo Benso Conte di Cavour. - Bicerin no dialetto piemontese significa - bicchierino - copinho

  1. Café Confeitaria Al Bicerin - Aberto desde 1793, o Bicerin era o café preferido de Camillo Benso Conte di Cavour. Sua especialidade é, obviamente, a famosa bicerina, uma bebida quente típica de Turim baseada em café, chocolate e creme, que o local detém (com inveja) a receita original.

  2. Café Gelateria Fiorio - Aberto em 1780, é outro dos cafés históricos localizados no centro da cidade. Por muito tempo foi o local da realeza Savoia, também chamado de café da "pigtails" e " Maquiavel "para as roupas e as discussões realizadas lá. Sua especialidade é certamente sorvete, principalmente gianduia.

  3. Cafè San Carlo - Um dos locais de encontro dos intelectuais do Risorgimento, o histórico café San Carlo, localizado perto da praça com o mesmo nome, é famoso sobretudo pelas suas boas misturas de café. O ambiente é lindo, decorado com estuques, estátuas e mármores preciosos. À noite, transforma-se num restaurante.

  4. Confeitaria e Cafeteria Baratti & Milano - Aberta desde 1875 e seu sucesso foi tal que se tornou o fornecedor da Casa Real. melhores bebidas de chocolates quentes de Torino.

  5. Caffè Torino - Um pouco mais recente do que outras salas históricas, o Caffè Torino foi inaugurado no início do século XX. Mesmo aqui, numa atmosfera de outros tempos, entre os mármores preciosos e lustres suntuosos. Aqui o Gianduiotto è uma das especialidade.

  6. Café Mulassano - Localizado perto da Piazza Castello, o Caffè Mulassano di Torino, inaugurado em 1907, foi o ponto de encontro habitual da realeza de Torino, mas também dos artistas do Teatro Regio que encontra-se nas redondezas. Entre os belos espelhos, as mesas de mármore e as muitas decorações que você pode desfrutar de um “TRAMEZZINO”, a especialidade do lugar onde tambem nasceu.

    O "Gianduiotto" (nome do chocolate) foi produzido pela primeira vez pela famosa confeitaria Torino Caffarel na fábrica localizada em Borgo San Donato, provincia de Torino e apresentado ao público no carnaval de 1865 pela máscara de Gianduja de Torino, da qual leva o seu nome.
    A sua particularidade nao è somente na sua forma, mas na sua composiçao, feito de avelãs tostadas e moídas (com o refinador a avela se torna um creme porque contém óleo), cacau, manteiga de cacau e açúcar.

gianduiotto.jpg

O chocolatinho Gianduiotto

Uma homenagem à mascara de carnaval de Torino que se chamava Gianduia (1865).

Baratti & Milano - Uma das melhores cafeterias onde tomar uma otima chocolata quente da cidade de Torino.

Baratti & Milano - Uma das melhores cafeterias onde tomar uma otima chocolata quente da cidade de Torino.

O chocolate Cremino, invez foi uma operaçao de Marketing genial. Em 1911 a empresa automobilistica FIAT lançou uma competição entre os chocolatiers italianos para criar um novo chocolate para o lançamento do novo modelo de carro FIAT tipo 4.

Aqui està a maravlha de viajar: descobrir e aprender.
Quantas pessoas perguntam a origem do "gianduiotto"? Ter curiosidade em saber e descobrir coisas novas è que faz de voce um verdadeiro viajante.
Procurar estimulos lendo livros, visitar museus, exposiçoes, ouvindo diferentes estiles de musicas, experimentando pratos de culturas distantes e ate mesmo lendo receitas nas embalagens dos alimentos faz com que nunca se pare de viajar. Este è verdadeiro viajante.
O mundo está falando conosco e saber como ouvi-lo é o primeiro grande propósito de 2019.

Feliz 2019!

Todos loucos pelo Tartufo

No Outono, o Tartufo faz a sua entrada triunfal! Para comer o melhor tartufo branco è aqui que se deve chegar: no Monferrato, Langhe e Roero.

Na cidade de Alba é, sem dúvida, a capital mundial desta iguaria. Mas è no Monferrato que o tartufo se encontra :-). Todo ano acontece a maior feira do tartufo bianco, na cidade de Alba, no territorio Langa. Todos os sábados e domingos acontece o mercado mundial de trufas brancas e è uma experiencia unica. As trufas sāo pesadas, avaliadas e odoradas para uma avaliaçao correta. No Centro Nazionale Studi Trufle è possivel seguir a "bolsa de valor do tartufo" acompanhando de perto todas as informaçoes sobre esta iguaria.

O "tartufo" è um cogumelo subterraneo em forma de raiz e portanto se acha somente em baixo da terra. Não se acha Tartufo em qualquer terra. O tartufo vive em simbiose com certas qualidades de arvores como: o nocciolo (avelas), o pipo, quercia (carvalho), o tiglio. Por isto è importante a presença dos bosques.

No século XVIII, O Tartufo era considerado uma delicadeza em todas as cortes Europeias. Era uma diversão assistir a “caça” ao Tartufo. Hoje os lugares sāo secretos. Pedaços de terra com a presença de tartufo são mantidos secretamente. Difícil achar alguém que queira compartilhar esta maravilhosa e rica descoberta.

E quem acha o Tartufo? O melhor amigo do homem, o Cachorro! Estes animais valem mineiras de ouro. E’ Fantastico… e maravilhoso pensar em todo o processo que existe atras deste maravilhoso e raro cogumelo subterraneo. 

E' graças ao olfato do pequeno amigo do homem, o cachorro, è possível achar as trufas. O cachorro desde pequeno è treinado, à procurar o precioso fungo subterrâneo. Quando a descoberta è feita pelo olfato do cachorro, o proprietario do animal terminerà o trabalho com um instrumento adequado. E’ um trabalho de time, entre homem e o cachorro.

A caça geralmente acontece à noite, pois o cachorro è menos disturbado e o seu olfato se concentra melhor.  O perfume do tartufo è unico...  do gosto simples e sofisticado. Para degusta-lo è sempre conselhavel escolher o classico tagliolini e depois abir-se à novas experiencias e escolher acostamentos exoticos, como nos varios eventos do Foodies Moments organizado pela Feira do Tartufo Branco, com grandes chef do territorio.

Tartufo com ostriche e champagne? O que voce acha? Esta combinaçao guiada pelo chef Flavio Costa do restaurante 21.9 pode ser o antipasto para se esticar atè o seu hotel de charme e viver uma experiencia a 360° junto com a magnifica Cantina da Cascina Tenuta Carretta com 480 mil garrafas, contornada completamente de verdes colinas.

Verdes Colinas te leva para viver experiencias no Monferrato, Langhe e Roero. 

 

A viagem à procura de origens

Se você se encontra no paìs da excelência culinaria, o bom gosto è o teu companheiro ideal.

Uma das coisas que aprendi vivendo na Italia, è que cada região e em cada cidade existe uma historia, um ingrediente, um prato diferente à ser descoberto. Para se ter uma ideia, na cidade onde vivo, Alessandria, voce poderà encontrar diferentes receitas da massa tipica chamada “Agnolotto” em uma distancia de 20 km. Cada cidadezinha possui a sua propria receita e não se discute. Questa è a maravilha da Italia.

VIVER uma experiencia, FAZER um percurso e SENTIR o territorio

Vamos hoje até o territorio chamado Lomellina. Lomellina encontra-se no confim da Regiao Lombarda e Piemonte, no meio de dois Rios; Ticino e o Rio Pò. Estamos na Patria do Arroz. No final do século XV, o cultivo do arroz se espalhou amplamente no norte da Itália e precisamente na Lombardia e no Piemonte, em torno da cidade de Vercelli, onde as primeiras sementes de arroz foram implantadas por Ludovico il Moro (o Duque de Milano) e seu irmão Galeazzo Sforza, que pensaram em explorar a inundação freqüente de Pò para o cultivo do arroz.  E assim se deu inicio à difusão do arroz nesta terra chamada Lomellina.

O territorio dos arrozais oferece uma beleza paisagistica magica. Seja no verão ou no inverno mesmo com a presença da neblina o encanto è palava que eu defino este lugar.  O território de Lomellina oferece diferentes “fotografias paisagísticas ” no ano inteiro, devido as várias etapas da cultivação do Arroz na água. O Arroz sendo cultivado na água contribui, na mudança da cor do cenário com o azul das extensões de água nos campos na primavera, com o verde das mudas recém-nascidas no início do verão, até chegar a cor dourada das espigas maduras para a colheita.

Chegando em Semiana, na província de Pavia, se encontra a "Cascina Molino della Raina". Esta "Cascina" contornada da cultivaçao de arroz è completamente reformada no respeito da tradição e dos grandes espaços de uma grande casa tipica do territorio lombardo, mas com modernidade e elegança. Na reforma o ex-Mulino da "Cascina" foi reformado e implementado um sistema hidraulico integrado de tecnologie avançada que permite que a estrutura seja completamente auto - suficiente para a produçāo de energia.  

Uma "Cascina" de alma verde, seja pelo utilizzo da energia renovavel produzida pelo Mulino, que pelo Menu oferecido no restaurante presente na "Cascina". O restaurante "AcquaMatta Green Soul Ristorante ", reflete a beleza do territorio atraves a presença das suas grandes janelas vista jardim e plantaçoes de arroz, mas sobretudo pelo menu que sabe combinar tradiçao e contemporaneidade.

In cucina funziona come nelle più belle opere d’arte. Non si sa niente di un piatto fintanto che si ignora l’intenzione che l’ha fatto nascere.
 Acquamatta Green Soul Ristorante

O encontro de novos gostos junto à tradiçao è guiado por Andreia Saito, manager e sommelier. A sua presença em sala è delicada e ao mesmo tempo forte e segura.

Como disse Massimo Bottura: “...L’arte dell'ospitalità è quella magica alchimia che riesce a combinare, in un perfetto equilibrio, servizio, accoglienza e convivialità e fa diventare l'esperienza di un ristorante o di un hotel davvero memorabile".

Viva experiencias viajando, experimentando, degustando, explorando, curiosando para tornar a tua viagem inesquecivel.