A viagem à procura de origens

Se você se encontra no paìs da excelência culinaria, fugir do bom gosto serà difícil. O difícil serà a escolha.

Uma das coisas que aprendi vivendo na Italia, è que cada região e em cada cidade existe uma historia, um ingrediente, um prato diferente à ser descoberto. Para se ter uma ideia, na cidade onde vivo, Alessandria, voce poderà encontrar diferentes receitas da massa tipica chamada “Agnolotto” em uma distancia de 20 km. Cada cidadezinha tem a sua receita e não se discute. Questa è a maravilha da Italia.

VIVER uma experiencia, FAZER um percurso e SENTIR o territorio

Vamos hoje até o territorio chamado Lomellina. Lomellina encontra-se no confim da Regiao Lombarda e Piemonte, no meio de dois Rios; Ticino e o Rio Pò. Estamos na Patria do Arroz. No final do século XV, o cultivo do arroz se espalhou amplamente no norte da Itália e precisamente na Lombardia e no Piemonte, em torno da cidade de Vercelli, onde as primeiras sementes de arroz foram implantadas por Ludovico il Moro (o Duque de Milão) e seu irmão Galeazzo Sforza, que pensaram em explorar a inundação freqüente de Pò para o cultivo do arroz.  E assim se deu inicio à difusão do arroz nesta terra chamada Lomellina.

O territorio dos arrozais oferece uma beleza paisagistica magica. Seja no verão ou no inverno mesmo com a presença da neblina o encanto è palava que eu defino este lugar.  O território de Lomellina oferece diferentes “fotografias paisagísticas ” no ano inteiro, devido as várias etapas da cultivação do Arroz na água. O Arroz sendo cultivado na água contribui, na mudança da cor do cenário com o azul das extensões de água nos campos na primavera, com o verde das mudas recém-nascidas no início do verão, até chegar a cor dourada das espigas maduras para a colheita.

Chegando em Semiana, na província de Pavia, se encontra a "Cascina Molino della Raina". Esta "Cascina" contornada da cultivaçao de Arroz è completamente reformada no respeito da tradição e dos grandes espaços de uma grande casa tipica do territorio lombardo, mas com modernidade e elegança. Na reforma o ex-Mulino da "Cascina" foi reformado e implementado um sistema hidraulico integrado de tecnologie avanzate permitindo assim que a estrutura fosse completamente auto - suficiente para a produçāo de energia.  

Uma "Cascina" de alma verde, seja pelo utilizzo da energia renovavel produzida pelo Mulino, que pelo Menu oferecido no Restaurante presente na "Cascina". O "AcquaMatta Green Soul Ristorante ", reflete o territorio com suas grandes janelas, um convite para que o esterno faça parte do interno, o barulho da aguà que te acompanha por toda a refeiçao,  o respeito pela natureza nos seus produtos simples, frescos e saudáveis o toque de flores e cores para destacar o sabor e os benefícios de cada ingrediente, sāo a receita que completa o bem estar deste lugar.

In cucina funziona come nelle più belle opere d’arte. Non si sa niente di un
piatto fintanto che si ignora l’intenzione che l’ha fatto nascere.
 Acquamatta Green Soul Ristorante

A essência de uma viagem està nos encontros. O encontro de gostos, o encontro de tradições, o encontro de pessoas. Andreia Saito, manager e sommelier è a guia deste lugar de charme. A sua presença em sala è delicada e ao mesmo tempo forte e segura. Como disse Massimo Bottura: “...L’arte dell'ospitalità è quella magica alchimia che riesce a combinare, in un perfetto equilibrio, servizio, accoglienza e convivialità e fa diventare l'esperienza di un ristorante o di un hotel davvero memorabile".

Conhecer um territorio atravès dos seus pratos, ingredientes, nos permite conhecer històrias e tradiçoes locais, somente assim a viagem deixa de ser uma coleçao de etapas para torna-se uma verdadeira experiencia.